Os três espíritos do Natal

Uma vez havia um homem de negócios chamado Ebenezer Scrooge. Ele não era um homem amigável. Ele era muito rico, mas nunca gastava. Você poderia dizer que ele era muito avarento.

Estava quase na véspera de Natal, mas Scrooge não queria ter nada a ver com isso. ‘Bobagem’, foi sua opinião. Ele pediu ao seu contador, Bob Cratchit, para trabalhar na véspera de Natal. Juntos, passaram por todas as finanças do ano até que Scrooge finalmente deixou o pobre homem voltar para casa com sua família por volta da meia-noite.

Então ele saiu da escritório para ir para casa. Naquela noite, Scrooge recebeu um visitante. Era seu sobrinho Fred. ‘Tio, venha para a nossa casa para o jantar de Natal’, pediu Fred. ‘Ah que bobagem, respondeu Scrooge, ‘eu odeio o Natal!’ E foi assim que Scrooge, sem coração, mandou seu sobrinho de volta para o frio.

Ele era duro, esse Scrooge. Até mesmo os voluntários para os pobres foram implacavelmente mandados embora por Scrooge. ‘Trabalhe para ter o seu dinheiro! Eu faço isso!’, ele gritou. E ainda pior, ele gritou para os voluntários: ‘quanto mais pessoas pobres morrerem, melhor para o problema da superpopulação.’

Naquela noite, algo notável aconteceu. Em seu sonho, Scrooge recebeu uma visita de Marley, seu sócio falecido. ‘Se você continuar assim, você assombrará esta terra para sempre, assim como eu, e sempre será lembrado de como tratou mal os outros!’, avisou Marley. Ele disse a ele que três espíritos do natal o visitariam, para ajudá-lo a ser poupado desse terrível destino. E foi isso que aconteceu naquela noite.

Scrooge foi acordado pelo primeiro espírito do natal pouco depois da meia-noite. ‘Eu sou o Fantasma do Natal Passado’, disse o espírito. ‘O que você está fazendo aqui?’, perguntou Scrooge. ‘Eu quero mostrar-lhe memórias. Elas são de muito tempo atrás. Você pode não se lembrar muito bem. Estou aqui para refrescar sua memória’, disse o fantasma.

Scrooge viu imagens de seu passado. Como quando ele foi deixado sozinho e abandonado por seu pai em um internato rigoroso. Ele também viu o amor de sua vida, que ele perdeu por passar muito tempo fazendo negócios. Finalmente, ele viu sua irmã falecida que sempre foi gentil com ele. ‘Pare com isso’, implorou Scrooge, ‘eu não posso suportar isso!’ O espírito desapareceu.

Uma hora mais tarde, Scrooge foi acordado novamente. Ainda era pouco depois da meia-noite. O segundo espírito apareceu, o Fantasma do Natal Presente. Scrooge suspirou. ‘E o que você está fazendo aqui?’, ele perguntou. ‘Eu quero mostrar-lhe seu leal contador, Bob Cratchit, ele tem uma vida difícil. Ele tem um filho, chamado Tiny Tim, que está muito doente. Eles não podem pagar por seu medicamento. Você não o paga o suficiente por todo o trabalho que ele faz. É muito possível que Tiny Tim vá embora muito cedo.’

As imagens tocaram Scrooge. Havia uma lágrima escorrendo por sua face. Quando o fantasma viu isso, ele disse: ‘Que reação estranha, sua morte seria uma boa solução para a superpopulação, certo? E pela primeira vez em muito tempo, Scrooge sentiu arrependimento. Arrependimento pelo que ele dissera sobre os pobres e arrependimento sobre como tratou seu leal contador. O fantasma disse adeus e o terceiro espírito apareceu, o Fantasma do Natal Futuro.

‘O que posso fazer por você?’, perguntou Scrooge, que estava abalado por seus sentimentos que ele tinha reprimido por muito tempo e tinha sido despertado pelas visitas dos fantasmas anteriores. Suas experiências do passado o tornaram um homem duro, mas as memórias tinham acendido algo dentro dele. Ele começou a se arrepender cada vez mais de seu comportamento. Este fantasma lhe mostrou imagens de sua sepultura sem visitantes e ele ficou ainda mais triste. Piorou quando o fantasma mostrou o próximo Natal sem Tiny Tim. A tristeza da família Cratchit o tocou. Ele ficou muito envergonhado e desejou que pudesse ser tão gentil e generoso quanto era quando nasceu.

Foi então que Scrooge decidiu mudar. Ele pediu um peru, duas vezes maior que Tiny Tim, ao açougueiro e o entregou à família Cratchit. E eles aproveitaram tanto! Claro, ele deu um aumento a Bob. Então Scrooge foi para a casa dos pobres, onde se desculpou pessoalmente com os voluntários e lhes deu uma grande quantia de dinheiro.

E foi assim que o cruel homem de negócios mudou para um homem bondoso e acolhedor. Ele aceitou o convite de seu sobrinho para passar o Natal com sua família e teve um ótimo momento. Scrooge se tornou como um segundo pai para Tiny Tim. Não apenas deu muitas coisas ao menino, mas o que era mais importante, ele amou o menino.

image_pdfDownloadimage_printPrint